• cantinhoananda

10 verdades do Reiki

Na terapia complementar, apesar de ser a escolha de tratamento que mais cresce no mundo, ainda há muitas dúvidas, pré-conceitos, estereótipos ao seu redor, enaltecendo a falta de conhecimento. Neste texto vou esclarecer alguns destes pré-conceitos sobre uma destas terapias complementares, o Reiki.

Reiki é uma palavra japonesa. Significa a junção da Essência Energética Cósmica (Rei), que permeia todas as coisas, com a energia vital individual (Ki, ou Chi em chinês), necessária para a sobrevivência do corpo físico. Utiliza-se a energia Rei do macrocosmo para preencher ou substituir a energia vital, microcosmo, da pessoa ajudando, desta forma, com sua vitalidade.

A seguir 10 verdades sobre a terapia Reiki que ajudarão a tirar alguns dos pré-conceitos existentes.


1. Não é Religião

O método Reiki é uma filosofia de vida bastante difundida no Japão, Alemanha e diversos países. Possui 5 sábios princípios que norteiam esta filosofia:

Apenas por hoje, não me irrito.

Apenas por hoje, não me preocupo.

Apenas por hoje, sou grato.

Apenas por hoje, trabalho com afinco.

Apenas por hoje, sou amável e gentil com todos os seres.

O método Reiki respeita todas as religiões, pois entende a importância de cada uma delas. Qualquer pessoa, independente da religião ou da crença, pode ser aplicador e receptor do Reiki.

Acredito no que Albert Einstein falava “A religião do futuro será cósmica, sem dogmas ou teologias”.


2. Não é milenar

Mikao Usui desenvolveu o Reiki no Monte Kurama, Japão, em 1922. Portanto, está próximo dos 100 anos. Existem diversas técnicas de tratamento energético com imposição de mãos que são muito mais antigas, talvez até milenar, mas não o Reiki.


3. Não é cura

Reiki é um sistema natural de harmonização, equilíbrio e reposição energética que mantém ou recupera a saúde. Ao captar, modificar e potencializar a energia que, como consequência, deixa o organismo mais equilibrado, ajuda com o processo de cura.


4. Não faz mal ao corpo ou à saúde

Muito pelo contrário: energiza o corpo, promovendo saúde.

Somos todos feitos de energia, conforme já provado pela física quântica. O Reiki carrega ou substitui a energia vital de cada pessoa. O que pode acontecer, ainda que raro, é: se a pessoa estiver com uma energia mal qualificada ou muito densa, após o tratamento esta energia mais pesada poderá ser expelida pela transpiração, lágrima, sistema excretor e de diversas outras formas. Não há com o que se preocupar. Isto pode passar até despercebido. Muito provavelmente você sairá da sessão como se tivesse terminado uma profunda meditação.


5. Não é feitiço e nem um ritual satânico

Siddharta Gautama, o Buda, disse “O conflito não é entre o bem e o mal, mas entre o conhecimento e a ignorância”.

Reiki gera (auto)conhecimento. Sem mais. A próxima verdade explicará melhor.


6. Não é um ensino simples e curto

Longos estudos e muitas práticas se fazem necessárias para dominar corretamente as técnicas e realizar a terapia com eficácia. As técnicas são muitas e possuem os nomes tradicionais em japonês, local onde foi desenvolvido o Reiki. São ensinadas em 4 partes (Reiki 1, Reiki 2, Reiki 3-A e Reiki 3-B), podendo variar um pouco de acordo com a metodologia de cada mestre.

Recomendo um livro para quem se interessa pelo assunto e gostaria de ir atrás de mais (auto)conhecimento: Sistema Tradicional Japonês do Mestre Johnny De’ Carli.


7. Pode ser cobrado

Pode-se encontrar alguns estabelecimentos que prestam muito bem o Reiki de forma filantrópica. Provavelmente estes estabelecimentos possuem uma outra forma de fonte de renda.

Como já comentado, alguns cursos precisam ser realizados para trabalhar e aplicar esta terapia. Estes cursos possuem um custo financeiro e muita dedicação, assim como todos os demais cursos. Além disso, muitas pessoas se dedicam com tempo integral ao exercício desta profissão. Há inclusive registro profissional dos terapeutas complementares já há alguns anos (http://www.abrath.org.br/).

Por que não cobrar pelo atendimento prestado? Seria injusto e sem sentido na minha opinião. O terapeuta Reikiano é um profissional autônomo como todos os demais. Além dos investimentos nos cursos realizados e tempo disponibilizados, precisam também pagar as despesas do espaço como aluguel, água, luz, impostos, móveis, etc.


8. Não substitui a Medicina

Não substitui a medicina, a complementa. O Reiki é uma forma mais natural que busca o equilíbrio, restauração e aperfeiçoamento de uma forma global da pessoa, trabalhando não somente com a parte física, mas também com a vital, emocional, mental e espiritual. Nada é analisado separadamente. O corpo é um organismo interligado e, portanto, não deve ser analisado apenas uma parte. O Reiki gera um estado de harmonia e bem-estar que, como consequência, potencializa o processo de cura.

Complementa o trabalho de médicos em geral como alergistas, cardiologistas, ortopedistas, dermatologistas, otorrinolaringologistas, ginecologistas, urologistas, oncologistas, psicólogos, psiquiatras, dentre outros.


9. Não é massagem

Não tenha a expectativa de ir para uma sessão esperando uma massagem relaxante, pois isto está muito fora do conceito de Reiki. Trata-se de uma terapia de toque suave das mãos do terapeuta em algumas partes já previamente determinadas do corpo, sendo que o toque não é necessário na maioria das vezes, exceto em algumas técnicas específicas. Basta a aproximação das mãos. Portanto, não é preciso tirar a roupa, não é preciso passar óleos nem usar algum instrumento (quanto menos de massagem).


10. Reiki funciona

O médico Paulo de Tarso Lima disse: “Como boa parte da medicina oriental, o método era desacreditado porque não havia instrumentos modernos nem muito interesse em avaliar suas consequências”, porém agora há. Embora a técnica ainda seja vista com muito ceticismo aqui no Ocidente, esta crença tem sido alterada aos poucos. O Reiki está hoje em hospitais, presídios, praças públicas, Sistema Único de Saúde (SUS) e em vários outros lugares, cada vez mais se alastrando.

O Reiki, assim como outros 28 procedimentos de práticas integrativas e complementares são oferecidas por mais de 7.700 estabelecimentos de saúde pública, o que representa cerca de 28% das Unidades Básicas de Saúde (UBS). Está também dentro de hospitais como Sírio Libanês, Albert Einstein, INCOR e em hospitais de diversos outros países como EUA, Alemanha, Bolívia, Australia, Canadá, Suíça, África do Sul, Egito, Portugal e muitos outros.

Há muitos estudos científicos já publicados sobre a terapia Reiki. Veja o post É necessário acreditar no Reiki para a técnica ter efeito?

Pode-se começar a acreditar no tratamento Reiki por meio de diversas formas: se aprofundando nas inúmeras pesquisas e experimentos já realizados nos últimos anos, lendo mais artigos ou livros, indo atrás de mais conhecimento, se matriculando em um curso; ou, pode-se começar a acreditar por meio de seu próprio experimento. Você possui algum incômodo no corpo? Uma angústia? Algum sentimento mal trabalhado? Algum vício? Faça o teste e veja como se sente após a sessão.


Espero ter contribuído com mais conhecimento sobre a terapia Reiki. Boa sorte na vida!

Rafaela Cristina Gomes Segarra

Terapeuta Complementar

Whats. 11 94961.0123

cantinhoananda@gmail.com

63 visualizações
 

(11) 94961-0123

R. Itapeva, 202 - sala 62 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01333-000, Brazil

  • Facebook
  • Instagram